Toda a gente pensa, mas nem sempre diz aquilo que pensa. Aqui, pode fazê-lo, sem censuras, etiquetas, ou qualquer outra iníbição.
.Pensamentos do dia

. De facto... Até parece me...

. ...

. A dupla personalidade

. ...

. O cozinheiro..

. "Porque no te Callas!"

. ...

. Motivações

. Medos vs Receios

. TEMPO......

.Pensamentos anteriores

. Maio 2008

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

Em destaque no SAPO Blogs
pub
Visitar um blog e sair sem comentar, é como visitar uma pessoa e ir embora sem se despedir
Sexta-feira, 11 de Maio de 2007
Mais uma situação que me irrita...

 

O triunfo do bem

 

"Este sim, devería ser chamado de sargentão. Até que enfim que a nossa Justiça abriu os olhos. Parabens Sargento e lute pelo bem da Esmeralda. os portugueses já mostraram que estão consigo. Viva a Liberdade."

 

Pode parecer estranho, mas este pequeno texto introdutor, tem um fundamento. Estava a almoçar descançado, depois de mais uma injecção de notícias sobre a praia da Luz, e enquanto lia o JN, deparei-me com este comentário de um senhor de nome José António. Este textito, faz alusão á libertação ontém, do sargento Luís Gomes, o qual viu a sua pena reduzida pelo Tribunal da Relação de torres Novas. Mas eu pergunto? Onde é que foi feita Justiça? Na libertação do Sargento. Não me parece. Este é mais um caso mediatizado pela Comunicação Social, sempre pronta a arranjar bodes expiatórios e almas caridosas. O Sargento, caíu no goto da imprensa e transformou-se em alma caridos, salvador de um ser inofensívo, tanto quanto uma criança de meses o pode ser. Convém referir, que este senhor não é pai de ninguém, nem justiça nenhuma foi feita, tal como diz ali o senhor José António, na sua missíva de admiração. Este Sargento, manteve em cativeiro uma criança que lhe foi dada por uma mulher em desespero, sem sequer se ter preocupado com a opinião do pai, que segundo palavras da própria, nem sabía quem era. O pai verdadeiro, desde há muito tempo que anda em tribunais a tentar ganhar a guarda da sua própria filha, tendo-lhe sido sempre negada a sua pretensão. Então volto a perguntar... Onde está a justiça? Será que o senhor José António, que tanto elogia e bajula o Sargento no seu textito, já se pôs na pele do pai biológico? Será que o senhor José António é pai, antes de mais. Não deve ser, senão não aplaudia a libertação de um criminoso.

 

No Jornal de Notícias de hoje, vem uma notícia sobre este caso. " Não tenhas medo filha. Estes senhores não são maus." Esta é a frase do Sargento, que tenta confortar a "filha" que chama de Ana Filipa, perante o assédio da Comunicação Social. Mas que filha? Ele não é pai da menina. Ana Flípa? Mas o nome da pequenita é Esmeralda. Mas será possível que a justiça continue tão cega, quanto os portugueses, que como o senhor José António, apoiam este "sequestro"? Justiça será feita quando a pequena Esmeralda ficar a guarda do pai biológico, não agora. Isto é um circo montado. Até quando?

Pensado por Johnny às 14:47
link do post | favorito
De solario a 21 de Maio de 2007 às 22:18
Ganhe juizo! o melhor para a menina é, sem dúvida, continuar com a família afectiva. O pai biológico teve 3 meses para a acarinhar, nos quais nem carinho nem sustento. Pessoas dessas não são em condições de educar crianças.
De José Ferrão a 27 de Maio de 2007 às 17:19
Concordo com o solario.
Por muito menos, já a Segurança Social está fartíssima de retirar menores aos pais biológicos.
É preciso ver que não são os filhos que devem educar os pais, mas sim o contrário.
Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 


.mais sobre mim
.tags

. todas as tags

.links
.pesquisar
 
.Maio 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
blogs SAPO
.subscrever feeds